Edição 15 – Pense bem antes de usar o dinheiro da rescisão em um novo negócio

ELETRA participa do 3º encontro nacional de TI dos fundos de pensão, realizado pela ABRAPP
18 de setembro de 2015
Giro de Notícias – Edição 55
23 de setembro de 2015
Exibir tudo

Edição 15 – Pense bem antes de usar o dinheiro da rescisão em um novo negócio

Mara Luquet diz se vale a pena investir o dinheiro da rescisão de contrato em um novo negócio e dá as dicas antes de procurar um financiamento.

Está aumentando o número de nascimento de novas empresas e é muito comum pessoas usarem o dinheiro da rescisão para financiar o primeiro negócio. Segundo dados da Serasa Experian, o número de novos negócios cresceu 4,9% no primeiro semestre de 2015 se comparado ao ano anterior. Em junho, o crescimento foi de 13% se comparado ao mesmo mês de 2014.

Para quem está pensando nessa hipótese, a resposta da economista Mara Luquet é simplesmente “NÃO”. Esse dinheiro deve permanecer numa renda fixa conservadora, pois esse será o dinheiro que vai precisar para viver.

O motivo não é dos melhores, mas ainda assim esta pode ser uma ótima notícia.

A recessão brasileira está provocando um aumento do desemprego e é este o principal combustível que tem levado ao nascimento de novas empresas. Sem emprego, o brasileiro resolveu apostar na criação do próprio negócio e esse pode, de fato, ser uma boa alternativa, desde que ele observe alguns cuidados, principalmente em se tratando do financiamento, quando necessário, para prosseguir, sendo os mais recomendados através da negociação de prazos junto aos fornecedores, agências de fomento, cartão BNDES e cooperativas de crédito.

O dinheiro não sendo mais o problema surge outro: “onde investir?’. Primeiramente, procure nas empresas que trabalhou os produtos e serviços que elas necessitam, franquias podem ser outra saída, após longa consulta com franqueados, habilidades da família como esposa e filhos, principalmente jovens na área de tecnologia.

Um grande parceiro nesta jornada pode ser o Sebrae. Você encontrará técnicos experientes que vão ajudá-lo a elaborar um plano de negócios, apontar caminhos sobre agências de fomento e uma série de informações para a criação de sua empresa e as dificuldades que você encontrará pelo caminho, e nunca se esqueça que sempre haverá riscos em qualquer atividade (RISCO DO NEGÓCIO É DO PATRÃO)

(Fonte: http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2015/09/pense-bem-antes-de-usar-o-dinheiro-da-rescisao-em-um-novo-negocio.html)