Resultados da Eletra superam suas metas atuariais
20 de abril de 2018
Comunicado – 27/04/2018
27 de abril de 2018
Exibir tudo

Giro de Notícias – Edição 181

RETORNO DOS INVESTIMENTOS SUPERA METAS ATUARIAIS E DÉFICIT É REDUZIDO EM 2017

Os investimentos das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPCs) encerraram o ano de 2017 bem acima das metas atuariais. A rentabilidade média dos ativos foi de 11,36% ante 8,86% da taxa atuarial (TMA), segundo dados do consolidado estatístico da Abrapp (Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar). O resultado positivo ajudou a reverter parte dos déficits dos planos de benefícios ao mesmo tempo que ampliou o superávit de algumas entidades.

O déficit técnico acumulado de todo o sistema caiu R$ 71,7 bilhões em dezembro de 2016 para menos da metade – R$ 33,7 bilhões em dezembro de 2017. Já o superávit acumulado aumentou de R$ 18,2 bilhões para R$ 20,3 bilhões no período. Além do retorno dos investimentos, a redução é explicada pelo processo de equacionamento de déficit de algumas entidades ESI (Sistemicamente Importantes).

“A redução do déficit é explicada pelos bons resultados dos investimentos no ano passado, puxados pela renda variável e também pela renda fixa, e pelo equacionamento dos déficits de alguns planos”, diz Luís Ricardo Marcondes Martins, Diretor Presidente da Abrapp. Ele explica que os resultados confirmam a recuperação do sistema que tinha sofrido com a queda na atividade econômica dos anos anteriores.

“Vínhamos falando anteriormente que a maior parte do déficit era conjuntural e a recente recuperação confirma nosso ponto de vista”, comenta Luís Ricardo. Desde 2003, o sistema de EFPCs acumula rentabilidade média de 641% ante 476% da taxa atuarial. No mesmo período, o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) marcou 511% e o Ibovespa (Índice da Bolsa de Valores de São Paulo), 578%. As entidades superavitárias somam 141, o que corresponde a 437 planos. O número de planos com superávit é bem superior àqueles com déficit, que somam 193, correspondentes a 77 entidades. Os dados da Abrapp se referem a um total de 262 entidades.

Visão da Previc – O Diretor Superintendente Substituto da Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), Fábio Coelho, também ressaltou os bons resultados de 2017. “Os índices de solvência melhoraram, seja pelo equacionamento dos déficits, seja pela recuperação dos ativos”, disse o titular da autarquia em apresentação no Encontro Regional Sudoeste da Abrapp, realizado na terça, 17 de abril, em São Paulo. Ele confirmou que o volume de déficits foi reduzido pela metade.

“É uma notícia extremamente importante nessa dinâmica de recuperação das entidades fechadas”, disse Fábio Coelho. Apesar dos bons resultados no ano passado, o Superintendente da Previc alertou para as dificuldades de superação das metas em 2018. “O nível de incerteza é grande, pois estamos em águas nunca antes navegadas”, comentou em referência ao baixo patamar da taxa real de juro no curto prazo, que está abaixo de 2,5%.

(Fonte: Acontece ABRAPP)