Giro de Notícias – Edição 167
17 de janeiro de 2018
Dia nacional dos Aposentados
26 de janeiro de 2018
Exibir tudo

Giro de Notícias – Edição 168

ALERTA: PRAZO PARA PROVA DE VIDA PARA SEGURADOS DO INSS TERMINA NO DIA 28 DE FEVEREIRO

 

Os beneficiários do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) que não fizeram a prova de vida nos bancos em 2017 têm até 28 de fevereiro para comprovarem que fazem jus aos benefícios pagos pelo órgão. Cerca de 4,7 milhões, dos mais de 34 milhões de titulares de aposentadorias e auxílios ainda não se recadastraram.

Para fazer a atualização de dados cadastrais, não é necessário ir a uma agência da Previdência Social. O procedimento é feito diretamente no banco em que o beneficiário recebe o benefício, mediante a apresentação de um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira de motorista e outros).

 

GASTOS AUMENTAM APÓS A APOSENTADORIA; PLANEJE-SE

 

 

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que boa parte dos idosos estão endividados. A maior fatia dos cadastros negativos corresponde à faixa etária de mais de 65 anos de idade. Segundo a pesquisa, um em cada quatro aposentados, em média, está inadimplente, apresentando atraso de pagamento superior a 90 dias. De acordo com o gerente financeiro do SPC Brasil, Flávio Borges, uma das razões da inadimplência nessa população é a combinação entre a redução da renda e um aumento de gastos, em geral com a saúde, com itens como remédios e exames.

A pesquisa desmente a ideia, bastante comum, de que os gastos diminuem com a aposentadoria. Algumas despesas, como a educação dos filhos, por exemplo, realmente deixam de existir. Em compensação, outras sobem. É o caso dos planos de saúde, que ficam mais caros conforme a idade do assistido. Por isso, para não ser obrigado a entrar na inadimplência ou fazer um empréstimo consignado, o melhor é se planejar bem antes da aposentadoria.

O educador financeiro Álvaro Modernell, diretor da Mais Ativos Educação Financeira, orienta que, quanto mais próximo estiver o momento da aposentadoria, mais importante é ter conhecimento dos gastos: “Desde o início da vida profissional, é importante saber como gastamos o nosso dinheiro. Porém, a vida de um profissional aos 25 anos de idade, por exemplo, costuma ser bem diferente da vida de um profissional que está chegando à aposentadoria, no que diz respeito aos hábitos de consumo e necessidades. Daí a importância de acompanhar atentamente seus gastos alguns anos antes de parar”. O detalhamento de seus gastos atuais pode ajudá-lo a planejar sua vida financeira no futuro. Veja alguns itens que devem ser levados em consideração:

Custo de vida

A maioria dos aposentados precisará gastar entre 60% e 90% de sua renda para manter o mesmo padrão de vida de quando estava na ativa, o que não será possível apenas com o benefício pago pelo INSS: “Por isso, quanto mais puder investir em um plano de previdência, melhor. Se o participante tiver clareza dos seus gastos, pode se organizar para aumentar suas contribuições. Assim, terá um ganho imediato de 100%, pois o patrocinador entra com uma contribuição de igual valor”, lembra o educador financeiro.

Transferência de custos

Com um bom planejamento, você poderá quitar sua casa, por exemplo, antes de se aposentar. O gasto com o financiamento retirado de seu orçamento poderá ser substituído por outro, como viagens ou planos de saúde.

Inflação

Em geral, muita gente esquece de levar em conta o efeito da inflação. Após dez anos de aposentadoria, os custos mensais não serão os mesmos do seu primeiro dia como aposentado. E o recebimento de seus benefícios poderá não acompanhar os aumentos inflacionários. Por isso, é importante fazer ajustes em seu orçamento durante a aposentadoria, mantendo-se sempre a par dos aumentos causados pela inflação.

(Fonte: www.seufuturovalemais.com.br)