Comunicado – 06/10/2017
6 de outubro de 2017
Giro de Notícias – Edição 157
18 de outubro de 2017
Exibir tudo

Giro de Notícias – Edição 156

RAZÕES PARA APOSTAR NA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FECHADA

 

Saber que será possível aproveitar a aposentadoria com conforto, proporcionar uma vida mais tranquila para a família, além de sentir-se seguro quanto às finanças e poder ter uma reserva para imprevistos parece ser o sonho de todos.

Ao mesmo tempo, o aumento da expectativa de vida está mudando os hábitos dos aposentados no Brasil. Atualmente, quem sai da ativa quer aproveitar o tempo livre para dedicar-se a projetos e hobbies que foram adiados por décadas devido à falta de tempo. Porém não é todo mundo que poupa ou investe para garantir esse futuro tão desejado.

Depositar todas as fichas na Previdência Social e acreditar que, com apenas esse recurso, é possível manter o padrão de vida da época em que estava na ativa, durante a aposentadoria, está cada vez mais arriscado.

A Previdência Complementar Fechada é uma alternativa de investimento a longo prazo que garante a manutenção da renda e a segurança financeira da família. Ter um plano ajuda a completar sua renda e garante um futuro tranquilo, sem o medo de ter que mudar o padrão de vida quando chegar a hora de se aposentar.

Realização de projetos de vida

Fazer a viagem de seus sonhos, entrar em uma nova faculdade ou abrir o próprio negócio… Muitos sonhos ficam adormecidos durante anos, por falta de tempo ou dinheiro. A Previdência Complementar Fechada é um investimento seguro e o participante pode escolher a forma de recebimento de benefício para a realização de seus projetos de acordo com o regulamento de cada plano (crescente ou decrescente).

Proteção contra os preços dos planos de saúde

A cada ano, o custo com a saúde suplementar cresce no Brasil. Assim, mantendo seu nível de renda durante a aposentadoria, no futuro, será mais fácil enfrentar os custos de seu plano de saúde. Após os 60 anos de idade, as mensalidades dos planos de saúde costumam subir acentuadamente. Portanto, se você conseguir fazer uma poupança previdenciária ao longo de sua vida, provavelmente terá melhores condições de pagar seu plano de saúde na vida pós laboral e não precisará depender exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS).

Flexibilidade para investir

Na maioria dos planos de Previdência Complementar Fechada, o participante escolhe seu percentual de contribuição de acordo com seus projetos para o período pós-carreira. Quanto mais cedo começar, menor o percentual a ser investido. Em alguns casos, também, é possível escolher o perfil de sua aplicação (conservador, moderado ou agressivo).

Benefício fiscal

Os contribuintes que participam de planos de Previdência Complementar têm acesso ao benefício fiscal, podendo abater o valor de suas contribuições no montante total de Imposto de Renda devido a cada ano, limitado a 12%. Para isso, o participante deverá realizar a declaração de Imposto de Renda por meio do formulário completo. Importante destacar que, na fase de contribuição para o plano, não há incidência do Imposto, que será cobrado apenas no caso de resgate do valor acumulado ou quando o montante passar a ser recebido periodicamente.

Modelo de tributação

Ao entrar num plano, é possível escolher o modelo de tributação: progressiva ou regressiva. No regime progressivo, o participante devolve o que não pagou de tributos durante o período de contribuição (varia de 0 a 27,5%). No regressivo, a alíquota vai diminuindo conforme o tempo de vinculação ao plano até chegar a 10%.

Portabilidade

Em caso de desligamento da patrocinadora, existe a opção de transferir seu saldo de conta para outro plano de Previdência Complementar Fechada sem fazer o resgate ou pagar impostos e taxas. Assim, seu patrimônio fica protegido mesmo quando você troca de emprego.

(Fonte: www.seufuturovalemais.com.br)