Giro de Notícias – Edição 100
24 de agosto de 2016
Giro de Notícias – Edição 101
31 de agosto de 2016
Exibir tudo

Brasileiro precisa reforçar preparação para aposentadoria

Mesmo ocupando a segunda colocação no “Índice Aegon de Preparo para a Aposentadoria”, atrás da Índia, empatado com os Estados Unidos e à frente da Alemanha, o Brasil não tem motivos para comemorar. “É um resultado mediano”, explica Leandro Palmeira, superintendente de Projetos Estratégicos da Mongeral Aegon do Brasil. Nenhum dos 15 países analisados obteve pontuação alta.

Para chegar ao índice, a Cicero Research, consultoria responsável por globalizar a metodologia criada pelo Transamerica Center for Retirement Studies em 2012, aplicou um questionário com seis perguntas atitudinais e três comportamentais. Foram analisados: planejamento para a aposentadoria, preparo financeiro, substituição de renda, responsabilidade pessoal, nível de consciência e compreensão financeira.

Com 6,7 numa escala de 0 a 10, os resultados de 16 mil entrevistados mostram que os brasileiros precisam despertar e buscar uma melhor preparação para aposentadoria. “Isso significa reconhecer que o desafio de alcançar uma segurança financeira de longo prazo é uma responsabilidade compartilhada, que requer engajamento de todos os envolvidos governo, empregadores e indivíduos”, afirma Palmeira.

O índice superior da Alemanha (6,1), Reino Unido (6,1) e China (6,0), que também estão no ranking de pontuação média (entre 6 e 7,99), tem uma explicação: INSS (Instituto Nacional de Seguro Social). “O Brasil tem um sistema público amplo e generoso. Como a renda de boa parte dos trabalhadores não excede o teto do benefício pago, que é de R$ 5.189,00, muitos brasileiros não sentem a necessidade de construir uma estratégia pessoal adicional para a aposentadoria”, diz.

Mas ele lembra que, considerando o atual déficit financeiro do INSS, não se pode mais depositar tanta confiança no sistema público de aposentadoria, que passará por mudanças nos próximos meses. “É o momento de empregadores ofertarem fundos de pensão e planos de previdência, e de trabalhadores começarem a poupar desde cedo, guardando reservas não só para o futuro, mas para imprevistos, como uma invalidez.”

Paralelamente e com igual importância, Palmeira ressalta que a segurança financeira deve caminhar lado a lado com a saúde e a qualidade de vida, visando à autonomia na terceira idade. “Precisamos aprender com os europeus e americanos a pensar no longo prazo. Os latinos e os indianos são sociedades nas quais os velhos ainda contam com os jovens para o futuro.”

(Fonte: Diários dos Fundos de Pensão da ABRAPP – Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar)

 

ELETRA REFORÇA A IMPORTÂNCIA DO

 PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO

 

O resultado da pesquisa acima não é novidade. É sabido que a cultura previdenciária ainda está em processo de iniciação no Brasil. E mais ainda em Goiás!

Por isso, a ELETRA, preocupada com o futuro de seus participantes, e também daqueles que são empregados das empresas do Grupo CELG e que ainda não aderiram ao Plano Celgprev, administrado pela Fundação, tem desenvolvido uma ampla campanha de educação financeira e previdenciária, por meio de diversos canais, tais como: portal de educação financeira e previdenciária (www.seufuturovalemais.com.br), apresentações, inclusive no interior, e ainda, informativos eletrônicos semanais.

Com o objetivo de reforçar aquela iniciativa, a Eletra disponibilizou, a partir deste mês de agosto/2016, no portal institucional da entidade (www.eletra.org.br), o seu novo Simulador de Benefícios.

Com a ajuda desta importante ferramenta, que é de fácil acesso e de uso autoexplicativo e didático, cada um pode inserir os seus dados e simular várias situações, que lhe permitirão constatar a importância de aderir ao plano para formar uma reserva de poupança que lhe garanta, no futuro, uma vida pós laboral tranquila e mais próxima de seu padrão financeiro atual.

Aquele que já é participante do PLANO CELGPREV, poderá simular vários percentuais de contribuição, entendendo que a escolha do percentual atual é essencial para a formação do valor de seu benefício futuro.

Por meio dessas simulações, o participante também será capaz de visualizar que, além do percentual de contribuição, variáveis como a idade com que aderiu ao plano, o tempo com que contribuiu para o mesmo, e até o valor do salário sobre o qual a contribuição incide, que são muito particulares e individuais, influenciam diretamente no resultado final do benefício mensal a ser recebido.

O simulador também será útil para o participante compreender a importância de manter atualizados seus dados cadastrais na Fundação, os quais também influenciam, diretamente, no cálculo da concessão de aposentadoria futura.

A atualização cadastral é simples e pode ser realizada presencialmente ou por mensagem eletrôncia, junto à Gerência de Atendimento e Benefícios da ELETRA, que conta com uma equipe capacitada e sempre pronta e disposta a atendê-lo com rapidez e agilidade.

Por isso, a ELETRA reforça a importância do partipante acessar e utilizar o novo Simulador de Benefícios oferecido pela Fundação, pois ele é mais uma forma para se constatar que a complementação de aposentadoria pode ser o grande diferencial para um futuro tranquilo para você e sua família.

ACESSE, SIMULE, PARTICIPE.
NA ELETRA, O SEU FUTURO VALE MAIS!